sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Douradas... Douraditas!


O Natal já foi!
Um dia de família e amigos que na hora adiantada do limite das comesainas habituais, se apresentou, para mim, com momentos intensos de luta interior, muito devido a ter consultado o Wind Guru, apercebendo-me ser hoje o único dia com bom tempo que se avizinhava!
Esta constatação, deixou-me a pensar que, lançando a "isca", talvez a família não levasse muito a mal que fosse direitinho a Sines, pescar neste dia 26... Mas, ao longo de alguns minutos de agitação interior intensa, resolvi que não o faria! Não seria "politicamente correcto" e há mais marés que marinheiros, pensei para comigo... Mais vencido que convencido!
Por tal, aqui estou, com tempo para mim e consequentemente para vocês que, embora sejam poucos a comentar, sei que me leêm!
No Passado fim de semana, terminadas as reuniões de avaliação às 12.30 de Sábado, arranquei direitinho a Sines, com a intenção de pescar o máximo tempo possível e com todas as "armas" apontadas para a espécie do momento... Douradas!
Tudo estava mais ou menos planeado! Chegava lá aí pelas 14.00, preparava o barco e ia zagaiar ali por perto sem pensar nas "raparigas", podia ser que caísse algum peixito para o jantar e cumpria simultâneamente com as intenções de maximizar o tempo de pesca e de estar com o mar. No Domingo e na Segunda dedicar-me-ia então às "moçoilas"!
Assim o fiz! Sendo que, à zagaia, só os malandros da quadrilha da foto de abertura se atiravam ao chumbo, ficando por qualquer lado, já que boca para aquilo, obviamente, não têm!
Chateei-me! Então agora ando para aqui a sujeitar-me a apanhar "estes" pelo rabo? Vou-me embora! E fui!
Cheguei ao porto, contei as desditas com os vermelhos indesejáveis, rimos sobre o assunto e vá de preparar tudo para o dia seguinte, com premonições em alta!
Domingo, chegaram os companheiros de Pegões, carregados de material, do habitual almoço de caça, uma lebre que se viria a verificar estar uma delícia, assim como também o principal acontecimento do dia, pois... Douradas, nem vê-las!
Não fora umas quantas Sarguetas, um ou dois sargos, uns Parguitos pequenos e o Parguito maior, capturado pelo Letras, ambos na imagem abaixo, aquilo tinha sido uma desgraça completa!
Porquê?
Talvez tenhamos apostado mal!? Os sinais estavam e depois já não estavam, íamos para mudar de pesqueiro e entrava um peixito melhor, fazendo-nos pensar: é agora! Mas nunca chegou a ser!
O dia terminou com a sensação de ser mais um, bem passado, mas com algo em falta... A presença do "objecto" da nossa procura: Douradas! Não entrou nem uma!
Soubemos depois que noutras zonas, alguns tinham capturado, embora a maioria, nem por isso! É assim!
Deveríamos talvez ter mudado de pesqueiro... Mas, com os dias pequenos, ficamos sempre a pensar que tal possa ser uma perda de tempo, sendo que umas vezes é! Outras... Nem tanto!
Despedimo-nos, preparei tudo para o dia seguinte e fui à janta, decidido a insistir na mesma zona quanto à jornada que se avizinhava.
Segunda Feira, esperei o meu amigo António Soares, mais conhecido por Vira, cumprimentámo-nos à chegada e desatei a informá-lo sobre os acontecimentos do dia anterior, preparando-o para a hipótese de qualquer outra desdita, o que, felizmente e graças às aprendizagens precedentes, não aconteceu!
Quando falo em desditas, não me refiro aos meus sentimentos, em particular. Para mim, estar no mar e raciocinar sobre tudo o que acontece, capture ou não, é por si só um bem!
Fico é a pensar nos companheiros que vêm pescar comigo que, não podendo manter a frequência de pesca que consigo, se sintam defraudados pela ausência de capturas! Sou assim! Vou fazer o quê?
Mas não foi o caso!
Chegámos ao pesqueiro, sondei afincadamente, apercebendo-me que um ou dois barcos que por lá estavam, se encontravam em espera, já que os movimentos que se viam, não indicavam capturas. Afastei-me deles e continuei a sondagem, até que o que queria ver, apareceu!
Tenho pena de não ter tirado a foto de sonda! Outro dia o farei!
Um pontão de pedra, não muito alto nem muito extenso, mostrava-se carregado de manchinhas amarelas e cor de laranja, por cima e junto ao fundo, nas embeiradas e fora delas, numa extensão considerável!
Não atirei foguetes, nem disse nada! Pensei... Mas calei-me! Depois dum dia como o anterior, melhor mesmo, é estarmos caladinhos!
Certo é que, antes, não tinha visto nada parecido com aquilo!
As sondas mostram peixe de várias formas, mas a verdade é que se verificam por vezes leituras que não me lembra de terem falhado, sendo que esta era uma dessas!
A manobra de fundeio decorreu lenta e precisa, com ventinho certo de E/SE, sem aguagem a indiciar falhanços redondos, deixando o barco deslocar-se rigorosamente para o local escolhido, com a sonda a testemunhar tal acontecimento! Lindo!
Iscas preparadas, Caranguejo no anzol de baixo, iscado como já por aqui mostrei, num estralho de 80cm; Sardinha no anzol de cima, iscada à posta, num estralho de 60cm, destinado a perceber se aquele material e estralho mais curto teriam uma palavra a dizer! Fundo com eles, impulsionados por uma chumbada vermelha de 190 grs.
Estão a ver, em qualquer desporto, aquelas equipas que levam uma jogada surpresa preparada, caso lhes calhe sair com a bola? A coisa sai bem e... É goooooolo!!!
Aconteceu!
Contra muitos conceitos de que: ah e tal... Para a Dourada, temos de engodar e fazer o pesqueiro e não sei mais o quê? Sempre penso que se estivermos em cima delas, assim como em cima de outros peixes do tipo, o pesqueiro já está feito! O resto, depende das nossas acções!
Neste caso, como em outros que já me aconteceram, verificou-se que tal pode ser verdade, muito devido à época do ano, típica pelas concentrações deste espárido.
Retornando ao relato, estando eu com o pensamento na tal imagem de sonda, decidi colocar toda a atenção nesta "primeira jogada"!
Larguei a pesca para a água, acompanhando o fio com o dedo de forma a sentir o momento de chegada ao fundo, sem qualquer folga ou tempo morto que não me permitisse sentir o mínimo toque à chegada da isca. Tocou o fundo, elevei a cana até esticar a linha, recolhi o excedente, rapidamente, deixando a linha no limite da tensão, com todos os sentidos em alerta!
Deu-se um primeiro toque, curto e a afundar pouco, não reagi... Aguardei! Seguiu-se outro, um tudo nada mais longo! Ferrei! Alto e Seco! Senti que a baixada não subia, como se arrochada estivesse, nas não!
Enrolei linha e elevei outra vez a cana para o alto dos seus 3,60 mts! As cabeçadas iniciaram-se, a luta deu-se e a Dourada, com um quilito e tal, subiu para o barco à primeira e com direito a foto!
Depois meus amigos, foi continuar! Pesca para baixo, pesca para cima... Umas vezes com Dourada, outras com Sargo, outras com Parguito e muitas outras, com anzóis limpos, chumbadas e incertezas instaladas, quanto ao momento da ferragem.
Não entrou nenhum peixe que se possa referir como exemplar, pese embora as tentativas efectuadas nesse sentido, mas a qualidade era boa e o tamanho aceitável.
Veja-se a dupla que o António apresenta aqui por baixo:
Também os Sargos que foram entrando, todos com o tamanho do pé "enorme" do meu companheiro, como a seguir se verifica:
Com toda esta azáfama, acabámos por capturar uma vintena de Douradas, duas de quilo e tal e as restantes para aí de 600 grs; uns três Sargos da medida acima, algumas Sarguetas de palmo e três Parguitos a rondar o quilo!
Exceptuando dois ou três peixes Piça e o mesmo número de bogas, nada mais entrou neste dia de peixe espaçado em intervalos que não quebravam o ritmo de pesca e em que a isca rainha foi o Caranguejo, tendo os Parguitos caído na Sardinha.
Desta incursão às Douradas, comparando com o primeiro artigo que sobre esta pesca desenvolvi, penso que não haverá grandes alterações de conceitos, se bem que, algumas pequenas sugestões poderão alterar significativamente os resultados!
A utilização de multifilamentos veio permitir um acréscimo importante quanto à sensibilidade sobre os toques efectuados pelo peixe. Este factor se bem que necessário, poderá influir negativamente no caso de peixes como a Dourada que, tudo indica, parecem moer ou esmagar a isca antes de abocar, imprimindo toques aos quais a nossa reacção rápida poderá converter-se numa antecipação ao momento exacto da ferragem, originando a perda do peixe e da isca.
Também o abandonar da linha na descida e a recuperação lenta após queda da baixada no fundo, poderão dar oportunidade às Douradas de fazerem todo o trabalho sem que de tal o pescador se aperceba, sob risco de lá ter a pesca, sem isca, durante um tempo desnecessário e só porque, entretanto, não sentimos nada.
Neste dia, como em muitos outros, as ferragens com sucesso, verificaram-se ao segundo, por vezes ao terceiro toque, normalmente pouco perceptível, mas um pouco mais comprido, indicando que o anzol já vai em viagem bem dentro da boca do peixe! Digo isto devido ao facto de todas as capturadas, virem ferradas bem fundo ao canto da boca.
De tudo o referido, importa indicar alguns comportamentos! Vejamos:
- Procurá-las, encontrá-las e fundear em cima, tem-se verificado uma opção de sucesso!
- Engodar quando não aparecem tem tido resultados, no meu caso, mais variáveis que quando dou com elas e me coloco com rigor em cima do pesqueiro!
- Nunca deixar a linha chegar ao fundo e ficar bamba ou com um seio derivado da aguagem. Nesta situação, ou elas se ferram sózinhas ou nos roubam enquanto esticamos a pesca e nos preparamos para sentir os toques, sendo esta última muito mais frequente. Eu, quando por qualquer razão deixo a pesca chegar ao fundo e esperar um pouco antes de ser esticada, costumo enrolar e ferrar rápido mesmo sem sentir! Já tive sucesso mais que uma vez nesta situação, ou seja, caço-as mesmo no momento certo! Mas este tempo certo é muito falível!
- Perceber a diferença de peso, com isca e sem isca, ao elevarmos a cana. Isto permitirá que estejamos menos tempo julgando que a isca ainda lá está!
- Prepararmo-nos para uma jornada intensa e dura que não permitirá grandes paragens e comesainas, quer quando estão a entrar, quer quando não estão, parecendo-me ser necessário manter as iscas activas, mesmo nos momentos em que as Douradas parecem não estar a "actuar"!
- No que se refere à baixada, estou presentemente a usar estralhos um pouco mais compridos, 0,80 a 1,00 metro, e penso aumentar um pouco o tamanho dos anzóis e das iscadas; isto porque me parece que as maiores, estão cada vez mais difíceis, obrigando talvez a que as uniões se mantenham mais afastadas das iscadas e que, atendendo à quantidade de engodos que andam lá por aqueles pesqueiros, implique iscadas maiores, talvez mais promotoras de ataques por parte de exemplares de maior envergadura.
Não sei ao certo! Vamos ver se o tempo nos deixa ir experimentar!
Entretanto, há que tentar e insistir!
Boa noite a todos os leitores!

26 comentários:

Anónimo disse...

Olá Ernesto
Ainda estou de "papinho cheio".
O barco, o mar, a marina, os peixes, o mestre amigo, fizeram da 2ª feira passada um dia Olímpico.
O meu reconhecido obrigado e que 2009 seja melhor que 2008.

Vira

Ernesto Lima disse...

Alô Vira!

Então, Já comeste as Douradas todas ou nem por isso? Lol

Foi de facto um dia excelente!

Pena os companheiros que eram para ir, não terem conseguido disponibilidade, paciência! Fica para a próxima!

Um dia destes, repetimos!

Até lá, um abraço!

Ernesto

Anónimo disse...

E é assim; Não foi, DANÇOU!

Mas ler o relato é por si só, um alento para a alma, foi um dia em cheio para dois amigos meus e só com isso já me sinto feliz!

Outras oportunidades por certo virão, e mesmo que o peixe não colabore, a amizade é algo que está sempre presente a bordo do "MAKAIRA"

Grande abraço

Mário Baptista

Anónimo disse...

As douradas em Sines tem estado a dar ao norte por fora do Fundo Velho , mas nem todos apanham , há uns que tem sorte e dão com elas.

Um amigo de Sines

Anónimo disse...

Viva Ernesto

O estilo descontraído e alegre da paixão pela pesca e do gozo de estar com os amigos no Makaira voltou com este relato
Já fazia falta!
E tudo explicado ao pormenor, sem segredos ou códigos...

O Mario Baptista teve a arte de acima traduzir por completo o que se sente quando vimos a este "nosso" blogue "... ler o relato é por si só um alento para a alma, foi um dia em cheio para dois amigos meus e só com isso já me sinto feliz!"

É mesmo bom conhecer-vos a todos!
Um grande abraço e um 2009 do tamanho da sua atitude

João Martins
.

Ernesto Lima disse...

Viva Pessoal!

Grato pelos comentários!

Ao "amigo anônimo de Sines":

Agradeço a dica, embora tenha de lhe dizer que esse mar, o Fundo Velho", é um mar que acho que conheço, mas não tenho a certeza, muito porque, já me deram tantas localizações diferenciadas que sinceramente ainda estou na dúvida! Não é grave... Um dia destes, vamos falar e concerteza tiraremos tudo a limpo!
Claro que vei ter de ser o meu amigo a ter a iniciativa, eu seria o primeiro a falar consigo se o identificasse!

De qualquer modo, insisto em agradecer-lhe o comentário e a dica!

Ao pessoal faltista à pesca, o que lhes posso dizer é que a avaliação de "excelente" já era! Isto como pescadores... Como amigos, mantém-se sem sombra de dúvidas. Lol

Ao João Martins:

Agradeço os piropos! Lol

Quanto às explicações em pormenor, elas são-no de facto!

Problema não é explicá-las! Executá-las é que se torna mais complicado!

Vai-se fazendo o que se pode, como se pode e quando se pode! Lol

Abraço a todos!

Ernesto

Anónimo disse...

olá Ernesto!!!

Mais uma vez um excelente relato!!
Espero na proxima terça, isto se o vento de SE permitir, utilizar as valiosas dicas que aqui deixou!!!

Um abraço,
Rui Barracha

Ernesto Lima disse...

Viva Rui!

Segundo o Wind Guru, parece-me que vais ter de aguardar melhores dias... A Terça, para já e até ver, tudo indica que pode estar complicado para a pesca!

No entanto, há que aguardar, talvez mude! Acontece nestas alturas!

Abraço!

Ernesto

Paulo karva disse...

Viva Ernesto
Mais um grande relato com preciosas dicas, digno de um manual de bem pescar.

Parabéns ao Vira, pela pescaria, com duplas e tudo! Esta malta é do melhor!

Abraço
Paulo karva

amorim disse...

Viva companheiro, mais um bom relato cheio de ensinamentos para quem pouco sabe e não só.

Reparei ao entrar agora no teu blog, que só neste ano que está prestes a terminar, até ao momento, foi visitado 37422 vezes, o que dá cerca de 102 visitas diárias...... Palavras para quê, cada um tem as audiências que merece, mesmo que não falem "andam por aí" e estão de certeza agradecidos como os que comentam.

Que o novo ano de 2009 te encha de saude e vontade de continuares a partilhar as tuas aprendizagens e saberes.

Grande abraço

Amorim

Anónimo disse...

Olá Ernesto!!

Sim, infelizmente vai ter que ficar para outro dia!!! Esta é a parte menos boa da pesca, marcaçao feita á 2 semanas pois nao é facil arranjar vaga, planos e pensamentos com fartura e o tempo na vespera prega destas partidas!!
Fica para a proxima!!

Bom ano de 2009 com muita Saúde e muito peixe!! ;-)

um abraço,
Rui Barracha

Daniel Pedro Silva disse...

Viva Ernesto

Isso é que foi dar nelas. Ainda bem que assim o é!

Concordo com o Amorim, Eles não falam mas andam ai.

Um abraço e tudo de bom para o ano que se avisinha.

Anónimo disse...

Amigo Ernesto as Douradas estão a dar ao norte da Pedra do Patacho . tem feito boas pescas,não são muito grandes.

Amigo de Sines

Ernesto Lima disse...

Viva Pessoal!

A todos vós, grato pelos comentários!

Respondendo aos últimos comentadores, direi ao Rui:

É assim... Pescador sofre!

Ao Daniel:

Lá se apanharam algumas, de fim de semana... Quem as apanha com regularidade é quem lá vai todos os dias e essas pescas não caem em blog nenhum! Lol

Ao amigo de Sines:

Bem companheiro, acontece que "Pedra do Patacho" é que não faço a mais pequena ideia onde seja. Talvez já lá tenha pescado e não conheça por esse nome, muito porque nunca perguntei marcas por lá! O que conheço, fui descobrindo ou aconteceu através de dicas que me fizeram lá ir. Daí, por vezes, não associo muitos dos pesqueiros que frequento aos nomes conhecidos pelo pessoal da zona.

Melhor mesmo é encontrarmo-nos! Um destes fins de semana que por lá esteja, apareça-me lá pelo barco que conversamos e trocamos ideias. Faço muito gosto!

Abraço!

Ernesto

Ernesto Lima disse...

... Contunuando nas respostas!

Ao Paulo Karva:

Completando os piropos que me mandas, importa referir que é imperdível que quem anda por aqui, frequente o teu blog (Mar Salgado) cujo link está aqui no meu. Isto porque a informação que lá está poderá orientar muito boa gente sobre aspectos técnicos relacionados com a morfologia de espécies e de materiais como os quais nos devemos "relacionar"!

Ao Amorim:

Eu sei que tenho, salvo a imodéstia, bastante mais gente que os que comentam e isso não me torna infeliz... Lol

O que acho é que se trocarmos ideias, poderemos ser todos pescar melhor!

Eu coloco por aqui as minhas que têm o valor que tiverem!

Muitos outros têm as suas... Concordarão? discordarão? ficarão cépticos?

Não sei!

Conversando e trocando conhecimentos, sempre conseguimos aprender mais! Não está em causa se supostamente se sabe mais ou menos, mas sim o que cada um sabe que o outro não ou, pura e simplesmente, nunca se apercebeu!

Tento aprender a todo o momento, tentando não entrar em juízos de valor sobre o saber de cada um.

Por tudo isto, estranho um pouco que não apareça mais pessoal a questionar isto ou aquilo e então de vez em quando sai um desabafo! Lol

Abraço!

Ernesto

Anónimo disse...

Amigo Ernesto,

Se contactar com os proprietários do D. Theodoro( M. Duarte) ou do Papa Ondas( Tó Rui) , barcos que estão muito perto do seu no mesmo passsadiço, concerteza que eles lhe dão as coordenadas dessas pedras, eles tem isso gravado no GPS.A "Frente Polisária" a sul também é uma boa zona de douradas mas já passa das 3 milhas.

Anónimo disse...

Gosto muito de pesca embarcada , especialmente da que você pratica mais virada para os exemplares maiores.Tem um excelente blog sem problemas em mostrar as suas técnicas e aquilo que vai experimentando (porque só assim é que se aprende).Se algum dia necessitar de um companheiro para uma saida terei muito gosto em acompanhá-lo.

Um abraço,

Luís Guerreiro

Ernesto Lima disse...

Viva Pessoal!

Mais uma vez agradeço os comentários e respondo aos comentadores!

Ao meu amigo anônimo de Sines:

Os pescadores que refere e que conheço pessoalmente, são pessoas que me merecem todo o respeito, tanto como individuos quanto como pescadores!

O Duarte, numa linha de pesca de maiores profundidades e o Tó Rui em vários tipos de pesca, este último, foi o primeiro a indicar-me a zona das Douradas de Sul, por si denominada "Frente Polisário" Mas que já me foi apontada como "Pedras Fortes"!

Os nomes não me parecem importantes, desde que o pesqueiro seja característico e efectivo, o que é o caso!

Voltando aos pescadores que refere, importa referir que, embora gostemos de trocar ideias, técnicas e conversas, parece-me que nós pescadores, adoramos ter uma certa privacidade, no que à pesca diz respeito! Por tal, se tivermos bom senso, não pedimos nada! Antes, esperamos que nos deêm! É o que tento fazer! Dou e não peço!

Na minha perspectiva, acaba por ser uma ética que se entende e que mantém os bons relacionamentos.

Posso dizer-lhe que aos dois pescadores que referiu não me importa dar o que quer que sinta que necessitem, assim como aceitar o que me queiram dar, assim o entendam!

Acho também que o nível de conversação que atingimos, você e eu, implica que nos conheçamos antes de continuarmos, pois a conversa começa a ficar muito pessoal e como deve compreender, eu não o conheço para além da escrita e começo a não perceber se só estamos a conversar sobre pesqueiros ou se algo mais o pode interessar.

Não leve a mal a franqueza, mas coloque-se na minha situação! Isto é um local público! Não o conheço como, na verdade, não conheço alguns outros comentadores embora coloquem os nomes. Mas, esses falam de técnicas, comentam as pescas e não se vê que tenham qualquer problema com a sua identificação!

Homem... Não custa nada! Eu vou para Sines quase todos os fins de semana, você aparece-me por lá e conversamos! Se calhar até já o fizemos e eu não sei! Embora você saiba!

Agora, esta conversação, em que me fala deste e daquele pesqueiro, deste e daquele pescador, sem que eu faça a mínima ideia de com quem estou a falar, vai-me desculpar, mas não me deixa sentir bem!

Eu dou a cara por aqui e por ali, à vontade! Não espero outra coisa de quem me comenta, se e quando se justifique!

Para além do que referi, não faço qualquer juízo de valor sobre a questão de não se identificar, o que acho é que já se justifica que o faça. Não importa que seja aqui ou lá por Sines, indo ao meu encontro.

Abraço!

Ernesto

Ao Luís Guerreiro:

Viva Luís! Grato pelo comentário!

Relativamente ao pescarmos juntos, pois não sei o que a vida nos traz! Não sei de onde é, se mora em Sines ou perto, o seu contacto... Enfim, sei muito pouco! Lol

Pesco umas vezes só, por opção! Outras vezes com amigos ou familiares e outras, raras vezes com pessoas que conheço de novo! Tudo bem!

Podemos fazer o seguinte:

Manda-me um comentário com o seu e-mail, eu não o publico para que não se torne público e contacto-o em seguida para que possamos conversar! Depois... É futurologia!
Lol

Abraço!

Ernesto

Anónimo disse...

Não podia deixar acabar o ano sem aqui vir deixar apenas o sincero desejo de um excelente 2009 para ti e para todos os teus, repleto de tudo o que desejes!
De pesca falamos nós sempre,pois fazes-me o favor de ser meu amigo á já largos anos.
Por essa amizade, pelos teus relatos e pela tua forma de estar na vida em geral,desejo que 2009 seja o ano da tua 1ª tatuagem!
Abraço!

Nuno Paulino

Ernesto Lima disse...

Viva Nuno!

É o que digo... Qualquer dia tenho de trazer para aqui os lenços de papel, sob pena de babar o teclado todo! Lol

Quanto à 1.ª tatuagem... Não será fácil! Lol

Grato pelo comentário!

Um ano de 2009 repleto de tudo o que desejares para ti e para os teus e:

Um grande abraço!

Ernesto

Anónimo disse...

Pois é, isto de dar não é para todos.
Eu venho-lhe pedir duas coisas:
Que tenha um 2009 muito feliz na companhia da família e dos amigos.
Que faça o favor de continuar a alimentar o blog com a sua experiência.
Um abraço,

António Abranches

Ernesto Lima disse...

Viva António Abranches!

Grato pelo comentário!

Quanto aos pedidos que me faz, posso dizer-lhe que tudo farei para lhe ser agradável! Lol

Um Bom Ano de 2009 para si e para os seus!

Abraço!

Ernesto

João Carlos Silva disse...

Viva amigo Ernesto,
Tenho-lhe a dizer que a maneira como encara o mar, e o tempo que lá passa, é sem dúvida a maneira como o devíamos fazer todos. Sendo eu da zona em que o sr tem o barco e onde pesca, é com muito agrado que leio este seu espaço vezes sem fim. Para aprender, mas também para matar saudades do tempo em que eramos assim neste alentejo, sem pressas, nem interesses, segundas intenções ou "manias" de esconder o que (na santa ignorância e pequeno pensamento)achamos que sabemos. Não precisa publicar este comentário, mas fique com a certeza que muita e muita gente vem aqui beber os seus ensinamentos e, acima de tudo, esta lufada de ar fresco e incertezas num tempo em que todos estão cheios de certezas e sabedorias. Muito obrigado por toda esta sua paixão e sabedoria. Descrobri o seu sítio na altura em que começou, mas devo-lhe dizer que vai ficando melhor à medida que o tempo passa. Obrigado

Ernesto Lima disse...

Viva João Carlos Silva!

Grato pelo comentário e por reflectir sobre conceitos que me são queridos!

Por vezes corremos demais... Outras de menos... Tento continuamente manter equilibradas as velocidades de corrida! Lol

A pesca desportiva ou, se assim se entender, lúdica, só por si, nunca será tão rica se não forem considerados os relacionamentos e vivências que proporciona, quando se pratica e quando nos reunimos à volta da mesa a falar sobre ela, de preferência da forma "alentejana limpinha" que refere!

São formas de encarar as coisas da vida! Cada um deverá fazê-lo a seu gosto! Este é o meu e, pelo visto, também o seu!

Um Bom Ano de 2009 para si e para os seus!

Abraço!

Ernesto

rui disse...

Ora viva Ernesto e companhia, serve a presente para assumir a mea culpa dum frequentador assíduo dete blog, mas pouco participativo!
Antes de mais um feliz ano de 2009 para todos vós, renovo o convite das pescarias aqui nas "Pedras" da zona de Aveiro, em busca duns parguinhos maiores, tendo-me iniciado em Fevereiro de 2008 na pesca aos diversos, já consegui arrebatar do mar algums parguinhos acima da média, com um record pessoal de 3,400kg, nunca tendo sido explicitamente direcionada a minha pesca para os grandes exemplares, esse foi tirado ao mar com estralhos 0.235 e anzois nº4.
Agradeço principlmente á comunidade piscatória da internet as dicas e os ensinamentos que fui adquirindo neste trabalho teorico-prático que se desenvolve todos os dias na mente dum pescador quando está em terra.
Um agradecimento em especial a si, pela forma como está na pesca ( presumo que seja a mesma com que brinda o seu dia a dia) dando muito e esperando pouco!
Um sentido OBRIGADO!
Até mais

Rui Valério

Ernesto Lima disse...

Viva Rui!

Um Bom Ano de 2009 para si, família e amigos!

Grato pelo comentário!

O convite não está esquecido! Vamos ver o que tempo disponível e trabalho nos vão trazendo, agradecendo-o sempre!

Os meus sinceros parabéns, pelas capturas! Desejo-lhe muitas mais!

Abraço!

Ernesto