segunda-feira, 21 de julho de 2008

Revisão... Pesca... Família!

Tudo corre melhor quando temos tempo e vontade de fazer algo!

O tempo... Arranja-se! Mas a vontade parece-me mais difícil, atendendo a que, para esta, contribuem equilíbrios ou desequilíbrios que a façam surgir e nos impelem a realizar mais e melhor!

Equilibro-me quando pesco! Quando escrevo por aqui! Quando estou com a família, entre outras situações... Como, por exemplo, quando estou com os meus alunos em contacto directo e sinto que lhes mostro a vida... Aquela que vão encontrar lá fora da escola... A verdade da mentira que nós, adultos, por vezes nos esquecemos de mostrar que existe!
Desequilibro-me quando me sinto obrigado a gastar tempo em reuniões/trabalhos que me parecem completamente desnecessários! Quando me chateiam... O que não é fácil! Também, quando começo a encarar algumas situações como um compromisso e não o consigo cumprir!
Claro que, tudo isto se ultrapassa, quando as coisas se começam a compôr tanto pelas oportunidades que agarramos com unhas e dentes, como pela vontade de tornarmos ao equilíbrio sempre tão desejado que, muitas vezes, desaparece sem que demos conta.

Nas últimas semanas a coisa tem sido dura, mas este último fim de semana, tudo se compôs!

Revisão ao motor marcada para Sexta de manhã, com intenções de pesca logo a seguir, e, Mulher, Filha e Neta para passarem o Sábado e Domingo, comigo, em Sines! Equilíbrio à vista!

Só faltava mesmo era escrever por aqui, mantendo o compromisso que mentalmente estabeleci convosco, ao qual não me sinto a corresponder ultimamente! Mas, cá estamos em amena cavaqueira!

Começou bem, na Sexta! A revisão ao motor correu sobre rodas, sem aqueles imprevistos que nos complicam o tempo e a bolsa! Eram 11.00 horas e estava feito!

Fomos pescar! Eu e o Brás, calmamente.

Apostei no mesmo local em que, há para aí um mês , fiz uma pesca rápida que contei por aqui! A lua, a maré e a hora eram idênticas! A leitura de sonda mostrou-se razoável e fez-se a aposta!

Os resultados estão à vista, na foto de abertura! Aqueles Parguitos todos, um polvo que não se vê e as chopas lá do fundo! Nada que não se tenha ainda visto, salvaguardando as horas de pesca entre as 11.30 e as quatro da tarde! Nada mau!

Os grandes não compareceram, mas divertimo-nos e compusemos as arcas lá de casa!

Depois... Alguns momentos!

Aqui por baixo, o Brás, com um dos maiores!

O campeão foi ele! Estava desalmado!

Houve ali uma altura que era só cair! Primeiro a Cavala, depois a Sardinha e até a Lula deu um ar da sua graça!

Outra vez o Brás, quebrando a monotonia dos Pargos que subiam, com a Dourada da imagem seguinte! Bonito!


A coisa continuou com a visita da Brigada Fiscal da GNR que nos abordou para fiscalização de rotina, também de iniciação a novos agentes. Convidei-os a subir ao barco e tudo decorreu com normalidade e com simpatia de ambas as partes! Eles fizeram o seu trabalho e eu cumpri com a minha parte, correspondendo com os documentos e materiais solicitados! Despedimo-nos! Eles foram à sua vida e nós continuámos na nossa! Assim está bem!

A pesca desenvolveu-se! Os peixes deixaram de corresponder e ainda mudámos de pesqueiro, tendo conseguido mais um Parguito. Eram horas! Levantámos ferro e rumámos ao porto! Satisfeitos e com a sensação que o dia tinha sobrado para tudo.

Há dias assim que nos equilibram e nos fazem sentir bem! Trabalhou-se, pescou-se, comeu-se, falou-se de tudo e de nada, sem que em algum momento nos sentíssemos beliscados pelos resultados das nossas opções!

Depois, um até à vista ao Brás, o banho, jantar com um amigo e Sines "by nigth"! Lindo!

O copo no Ponto de Encontro e o cacau no Náutico, antecederam a deita e um Sábado e Domingo em que tudo se conjugou para que Neta, Filha e Mulher pudessem estar horas seguidas comigo, e, onde a pesca só teve lugar enquanto proporcionei à minha Neta o seu primeiro passeio de barco que provou ser um bom embalo, pois dormiu o sono dos justos, enquanto navegava ao longo do molhe Sul, sendo a cana solitária com a amostra que estava à mão, o único sinal de que algum pescador se encontrava a bordo!


É assim! Quem é... Nunca deixa de ser! Mesmo com a Neta a bordo!

Os peixes sabiam que ganhavam a luta facilmente e nem tentaram! Fizeram bem em respeitar o sono da gaiata!

Agora que escrevo estas linhas, completo o meu equilíbrio! Já me estava a sentir em falta!

Não tenho aquilo que, porventura, mais vos agradará, mas outros dias virão em que me encherei e a todos vós com aquelas capturas de que mais gostamos!

Boa noite a todos os leitores!

4 comentários:

Daniel Rodrigues disse...

Boas amigo Ernesto!

Já tinhamos saudades destas pescas.....e que pescas...quem sabe , sabe!!!

Eu penso que nos cruzámos duas vezes no Sábado, uma vez no Mar, nós a sair do Porto e o Ernesto a entrar...Maldito nevoeiro!!lol

E a segunda vez no Sitio do costume, dos comes e bebes!lol

Abraço

Paulo karva disse...

Viva Ernesto.
Fim de semana em cheio, pesca e familia, bem bom. Parabéns pela pescaria, nem sempre dos grandes vive o homem. LOL
Admira-me as douradas ainda andarem por aí, será que estão de férias em Sines.LOL

Abraço para o avô!

Paulo karva

Ernesto Lima disse...

Viva Pessoal!

Grato pelos comentários!

Ao daniel:

Penso que identifiquei o barco, no Sábado! Lembro-me dele quando estava lá mais próximo de mim! Um belo barco por sinal! Os meus parabéns pela aquisição!

Quanto ao cruzamento nos comes e bebes, não me apercebi! Mas, Oh Daniel... Não custava nada dar uma vaia! Não sou de cerimónias! Lol

Ao Paulo:

As Douradas não estão de férias em Sines! Nesta altura também se apanham, por entralhados ricos aí nos 30/50 metros! Caem muito bem à Sardinha!

Nem só a partir de Novembro ou com carangueijo se apanham estas "rapineiras de isca"! Lol

Ricardo disse...

Boas Ernesto!

Ainda bem que tiveste um fim-de-semana em grande e que reencontraste o teu equilíbrio, o que diga-se, nos dias de hoje, vai sendo difícil.

Essa de adormecer a neta no barco parece-me um excelente vício e concerteza delicioso de se ver!

Gostei muito da forma como aconteceu o episódio de fiscalização, mostrando que quando há respeito de parte a parte, tudo tem condições para funcionar em harmonia.

Grande Abraço!