segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Fui... Pesquei... Embora devesse ter estado noutro lado!


É verdade! Não devia ter ido pescar... Deveria antes, ter estado na magnifica manifestação com os meus colegas professores!

A razão principal porque não estive lá, prende-se com uma combinação já antiga com estes amigos de Setúbal e Barcelos, com os quais, já há uns tempos atrás, tinha falhado uma pescaria por motivos profissionais. Também, por que me apercebi que a minha presença, sendo necessária, como a de todos os que lá estiveram, não seria significativa, pois os números que se revelavam certos, não deixavam margem a grandes erros sobre o número de manifestantes.

Claro que só gente inteligente e verdadeira que não queira mascarar o que se passa no ensino público, nos tempos que correm, é que consegue perceber tudo o que se passou, considerando o número de participantes, a forma como tudo decorreu e a real participação dos sindicatos, que se pode resumir, considerando o que foi referido pelo Director do Jornal "O Público", na SIC Notícias, no Sábado, ao fim da tarde, comentando a intervenção da Sr.ª Ministra da Educação: "nenhum sindicato, em Portugal, consegue congregar uma manifestação com este número de pessoas".


Resumindo; ficámos a saber que:


- Não estive lá, mas, por tal me penalizo;


e, também que, segundo os comentários da Sr.ª Ministra e do Sr.º 1.º Ministro:


- Cento e vinte mil, dum universo de cento e quarenta e tal mil professores, na sua maioria, auto organizados, são todos burros!


- Vieram, aos montes, passear a Lisboa, porque não tinham nada que fazer!


- O processo de Avaliação de Desempenho, afinal até é uma coisa de duas ou três páginas e aquela gente toda (eu incluído) nem se tinha apercebido!


- Os sindicatos são uns malandros aproveitadores, embora a sua intervenção, nesta manifestação, tenha tido um carácter pouco mais que logístico.


- A inteligência está, actualmente e na sua totalidade, concentrada em São Bento (eventualmente, também em toda a classe dos banqueiros... Que, estão agora todos tão satisfeitos com o nosso governo...), supostamente de forma autodidacta, pois, da maneira como nos consideram, não devem ter sequer estado perto de um qualquer professor.


Considerando o atrás exposto, é possível que esteja enganado, e, afinal, estes nossos governantes (e... Outros), nasceram todos ensinados! É sempre uma hipótese! Pouco provável... Mas uma hipótese!
Com tudo isto, a pesca de Sábado, não foi aquilo que normalmente é!
Pela primeira vez, não me consegui abstrair de toda esta embrulhada; muito porque, ainda gosto de estar com os meus alunos, pensar em cada aula que tenho para dar, rir ou zangar-me com eles, conforme a ocasião, e, no fim, conseguirmos, eles e eu, concluir que tudo valeu a pena, momentos bons e menos bons, cada vez mais difíceis de controlar, considerando a falta de tempo e a forma como inicialmente nos olham, muito, pela desacreditação originada no início desta campanha, contra nós, professores, até por muitos, de outras áreas políticas que agora tentam ir a reboque da contestação.
Cuidado Pais deste País, a Sr.ª Ministra da Educação e quejandos, não são os Porquinhos... Nem nós, Professores, o Lobo Mau!
Sendo que o contrário, também não é verdade!
O respeito mútuo seria, quanto a mim, a melhor ideia, mas, não existindo de quem deveria dar o exemplo, pois... Dar a outra face, é coisa de gente perfeita, e, isso não existe!
Voltando à pesca, pode dizer-se que, a coisa, sendo difícil, acabou por dar alguns frutos, não aqueles que gostaríamos, mas alguns!
Sexta Feira, fim de tarde, repuz o ferro que tinha perdido, já que alguns amigos se encarregaram de me oferecer outro, igualzinho ao perdido!
Com amigos assim... Não tenho que me queixar! A paz de espírito, fica certamente salvaguardada, bastando para tal lembrar-me deles! Obrigado meus amigos!
O Morais, o Tó (de Barcelos) e o Teles, vieram ter comigo, carregados de isca, comida e bebida, capazes de assegurar três dias de pesca, desde que houvesse um frígorifico industrial a bordo, e, lá fomos!
Os pesqueiros estiveram mornos, a isca a ser mal comida, e, os grandes sem entrar!
Depois de muito tentar e de algumas mudanças do barco, derivadas da falta de vento que o fazia rodar 180º, lá começaram a entrar uns peixes!
O teles tirou aquele Sargo que abre a entrada, antes das justificações e da Sr.ª Ministra.
O Morais tirou esta Douradita! É só olhar aqui para baixo!


O Teles tirou outra e mais dois ou três Sargos, fazendo-nos pensar que as coisas iam mudar, mas não!
O peixe entrava espaçado, à Bomboca, a Sardinha não resultava! Nem um Parguito entrou, antes das quatro da tarde!
Por onde andarão? Pensava eu, tentando raciocinar sobre o assunto!
Mais uma hora naquele pesqueiro, onde entraram os melhores peixes, e, eis senão quando, secou! Já nem as iscas comiam!
Não comiam eles, comemos nós, enquanto eu ia pensando onde ir e o que fazer!
Acabado o repasto, donde ressaltou o paio caseiro, lá de Barcelos, e, o vinho da Herdade de Alcube, resolvi ir a outro pesqueiro de "grandes", revelando-se este, fotocópia dos anteriores, e, fazendo-me pensar que o peixe não andava naquelas profundidades nem naqueles tipos de fundo, embora as marcações de sonda não fossem más!
Eram quatro da tarde e ir para fora, não se apresentava grande opção, atendendo à hora em que agora se faz noite! Por tal, resolvi fazer emposta ali por fora do Molhe Sul, talvez mais um Sargo ou outro, Besugos ou... Até um Parguito se apanhasse por ali. Não seria a primeira vez que tal aconteceria!
Lá fomos, já sem grande fé, só com a teimosia própria de gente como nós!
E a coisa deu-se!
As sarguetas de bom tamanho entraram, alguns Carapaus deram ar de sua graça e, finalmente, áqueles que insistiram com anzóis e isca mais grada, chegou a recompensa!
Primeiro ao Tó (de Barcelos), saíu-lhe o maior Pargo que até agora apanhou! Aquele que aparece na foto seguinte, pesando 1,700 kgs e o qual trabalhou, pode dizer-se, como se de um Pro se tratasse! Parabéns Tó (de Barcelos)!


Depois, entre as tais Sarguetas e mais um ou outro Carapau, lá saíu, aqui para o autor, um Parguito de quilo e um Bodião para aí com dois quilitos, coisa rara nos tempos que correm.
Quanto às fotos, sinceramente, esqueci-me de as tirar! Não faz mal... tiro para a próxima!
E foi assim a história do fim de semana, ensombrado pela educação, pouco farto de peixe, mas onde as alegrias sempre apareceram, principalmente para o Tó (de Barcelos).
Não se pense que as reflexões anteriores e a prosa desfiada, queiram dizer que a Educação ou a respectiva tutela, tenham culpa de tão pouco peixe! Não!
A culpa é mesmo e só minha, por não ter tido a arte e o engenho de mais cedo dar com eles!
Valeu pela companhia dos meus amigos, pelo Sol, pela pesca e pelo jantar, já em Setúbal, evitando a condução sob efeito de alguns, pequenos, excessos!
Boa noite a todos os leitores!

6 comentários:

Anónimo disse...

Viva Ernesto Lima
Há algum tempo que não falamos mas tenho lido tudo!
Hoje foi uma pesca preocupada mas sempre agradável de se ler
Aguardo a semana em vou ferrar a notícia daquele especial
É inevitável...
E quando vêm as iscadas e o resto das montagens? Para ficar mesmo tudo em dia? A 1ª parte foi um excelente documento técnico
Um abraço

João Martins
.

bruno mendes disse...

epa por momentos pensei que me tinha enganado no blog :) contestaçoes a parte (cada um tem as suas !!) a pesca dos vermelhos realmente foi fraca aqui para estes lados tambem nem um nem toque digno disso :(, em compensaçao serviu o intuito o de dar um treino a malta que vai fazer a prova da 2 divisao nacional de pesca, com bons peixes mas muito dificeis de ferrar.
Deixa o grande ha de vir .... é so esperar por ele, e esperar pelo relato eheh

Paulo karva disse...

Viva Ernesto
Pois o fim de semana foi fraco foi tudo para a manif.. Quando a cabeça anda preocupada e ocupada, as coisas parecem que não funcionam.
Fica para a próxima. Haja peixe!!

Abraço
Paulo karva

Ernesto Lima disse...

Viva Pessoal!

Grato pelos comentários!

Quanto à contestação... Bom, os desabafos fazem bem e, na qualidade de professor, mesmo de forma leve, não posso deixar de me manifestar contra este atentado a alunos, pais e País, do qual somos essencialmente o "bombo da festa"

A vida continua! A pesca também!

Abraço!

Ernesto

Rbarracha disse...

Boa Tarde!
Desde já apresento-me, o meu nome é Rui Barracha e sou de Setúbal, quem me deu a conheçer o seu Blog foi o Zé o seu genro, pois em conversa com ele, contou-me a sua 1ª pescaria e que pescaria!!!
Bem no final do mes de Agosto comprei uma embarcação( classe 5) e tenho ido pescar dentro do nosso Sado! Estou entao a contacta-lo pois sei que tem um conhecimento profundo dos pesqueiros na zona de Setúbal! Gostaria se possivel que me podesse dar a conheçer pesqueiros dentro ou fora do rio( infelizmente estou limitado pela classe)!

Desde já o meu obrigado e parabens pelo seu Blog!

Um abraço,
Rui Barracha
(ruibarracha@hotmail.com)

Ernesto Lima disse...

Viva Rui!

Grato pelo comentário!

Será com todo o gosto que lhe prestarei o apoio que necessitar, dentro dos meus conhecimentos!

Para tal, deverá dar o seu mail ao Zé ou, melhor ainda, encontrarmo-nos e falarmos sobre o assunto, já que dentro do rio, as marcas que conheço, são todas visuas, a partir de terra. Lá fora, já tenho alguma coisa no GPS!

Ao dispôr!

Ernesto