segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Pesca ao ritmo de mini férias!


Umas férias diferentes, curtas, salteadas de família que, ora estava por aqui aguardando uns peixes para um jantar, ora por ali pescando comigo.
O lado da filha e neta, pela Zambujeira do Mar, aguardando o pai/avô, com aquele Sargo Veado para escalar ao jantar; a pesca do dia a seguir, de volta a Sines em que, entre outros se capturou este Parguito de três quilos e qualquer coisa, obra do João Martins, companheiro desse dia.

Já estava amanhado quando lhe tirámos a foto... A máquina tinha viajado até à Zambujeira para curtir a neta e tinha ficado no carro... Azar!

Volta a Setúbal e nova ida a Coimbra com o meu sogro, para ver se estava tudo bem. Felizmente estava e a minha mulher olhando para mim, aliviada, pergunta: e se fossemos já para Sines? Sempre fazemos dois ou três dias calmos. Nem olhámos para traz, nem desfizemos as malas... Ala para Sines! Dormir, acordar tarde sem olhar a horas ou combinações de qualquer espécie, talvez apanhar Sol, talvez pescar...
Acordámos no passado Sábado já o Sol ia alto, com mar direito e pouco vento, olhando a pesca como uma boa alternativa para os banhos de Sol... Logo descansaríamos no Domingo.

Onde está a isca? Anda por aí! Encontrámos e andámos para o mar, procurando o primeiro pesqueiro, aquele que sempre procuro para testar, com os sentidos alerta e o pensamento colocado já em outro, caso os testes falhem. Falharam no primeiro, o mesmo não acontecendo no segundo, dando origem a uma pescaria jeitosa, com a minha mulher que não gosta de fotos a ferrar o maior peixe do par que abaixo se vê!


Ambos fazendo parte duma pesca que se compôs para aí em duas horitas, sem stress e ao ritmo do peixe.
Não dava para tirar foto com todos, por isso lá os espalhámos para os mirar e... A máquina estava lá!


Mais uns peixitos e atingíamos o limite legal, mas também... Para quê tanto peixe?

O Sábado estava feito! A alegria estava estampada nos nossos rostos e a conversa cheirava a peixe, com Sardinha e Lula à mistura.

Belo jantar! Bela tertúlia com amigos! Belos dias de descanso que se sucederam!

Hoje voltámos a casa, mas não tarda, estamos caídos outra vez lá por Sines. Depois conto!

Até lá, divirtam-se com o que temos para vos apresentar, pensando: "... Quem dá o que tem, a mais não é obrigado"!

Uma boa noite a todos os leitores.

16 comentários:

Kaywox disse...

Muito boas essas mini férias.

na tua escrita nota-se uma paz, calma e serenidade.

momentos bem passados com a família, frente ao mar, com peixe...muitos momentos desses...

1 abraço

Ernesto Lima disse...

Viva Zé!

Grato pelo comentário!

É isso! Foi mesmo paz e serenidade.

Abraço

Ernesto

Anónimo disse...

Como sempre, todos ou quase todos os dias, dou uma espreitadela aqui pelo teu blog pensando... "será que o Ernesto já postou mais alguma coisa?"... e quando isso acontece, fico sempre muito satisfeito! Lei atentamente as tuas sábias palavras e delicio-me com as fotos! Não me canso de dizer que é um privilégio seguir este espaço, que para mim, é uma referência no mundo da pesca pela maneira extraordinária como a vês e a vives!
Quem sabe... um destes dias te vejo a fazer estas magníficas saídas em cima de um kayak...? Até lá, 1 grande abraço e votos de um bom ano lectivo para ti!

Atentamente, Luís Ramalho - AEPG
Saudações da Tribo Fishyak

Ernesto Lima disse...

Viva Luís!

Grato pelo comentário!

Essa do kayak, acho que já faltou mais... Vamos ver o que dá?! Lolol

Abraço

ERnesto

Nuno Paulino disse...

A inveja é um sentimento feio mas não consigo evitar!
Até parece que estou a sentir os sabores desse pargo já amanhado.
Que a paz e o sossego vos acompanhem.
Abraço

Nuno

Ernesto Lima disse...

Viva Nuno!

Grato pelo comentário!

Essas invejas são inofensivas!

A cabeça e as abas do bicho já marcharam! Tenho de arranjar mais! Lololol

Abraço

Ernesto

@leo@ disse...

Boas

Parabéns pelo blog.

A que profundidades costuma pescar??

Ernesto Lima disse...

Viva Leo!

Grato pelo comentário!

Respondendo à sua pergunta, conforme a coloca:

dos 15 aos 300, por vezes, mais metros e, mais assiduamente, entre os 30 e os 90, dependendo da época do ano.

Cumprimentos

Ernesto

Anónimo disse...

Caro professor,

este relato está um mimo! Parece mais um postal enviado das Maldivas para os seus fieis "ouvintes".
Eu nas minhas jornadas por mares de Peniche em "duas horitas" não consigo apanhar essas talegas todas! Nem em dois meses....Lol.

Um abraço deste seu aluno
Pedro

Ernesto Lima disse...

Viva Pedro!

Grato pelo comentário!

Há dias assim... O peixe estava lá esfomeado e... Nós também! Lol

Abraço

Ernesto

Jose Valle disse...

Una gran pescata Ernesto, me imagino como disfrutarias con tanto esparido peleon y de buen porte.
Un saludo y felicitaciones.

Ernesto Lima disse...

Hola José:

Gracias por el comentario

Verdad! ha sido mui bueno!

Un Saluto

João Martins disse...

Viva Ernesto
Que grande sarrabulho que vai na última foto
Aposto que foram que os vermelhos que correram com os das riscas da caixa grande (tem admissão reservada...)
Parabéns ao casal Lima por mais um dia espectacular

Abraço JM
.

Anónimo disse...

Boas

Pffffff.....Ao ritmo de mini-férias!

Então se fossem Férias, pescarias nos 311m...só pode!

Meu caro amigo só posso dizer que invejo (no bom sentido...) essa tua forma de estar na vida, simplesmente; Um espectáculo!

Continua assim.

Grande abraço e um beijinho à esposa!

Mário Baptista

Anónimo disse...

Viva Ernesto,
Os meus sinceros parabéns por esses dias de paz, calma e família. Eu desta vez não te invejo, pois ainda por cá ando como tu, com amigos, sol e a família e também me calharam uns dias desses de peixe com fome. Acima de tudo, aproveita esses bocaditos em família que, isso sim, é o mais importante da vida.
Abraço
João Carlos Silva

Ernesto Lima disse...

Viva Pessoal!

A todos agradeço os comentários!

Ao João Carlos Silva e companheiros envio os meus sinceros parabéns pelas excelentes pescas que têm feito. Fui testemunha!
Pescas que a grande maioria dos pescadores dificilmente farão em toda a sua vida.

Abraço

Ernesto