terça-feira, 12 de agosto de 2008

O Pesqueiro do "Crescente"

As férias rolam... Demasiado rápidas quando olho para o calendário, mas produtivas!


Pelo descanso, pela pesca, pelo tempo para conversar com a família, os amigos e com outros que se vão conhecendo!


Até pelo tempo em que se pensa no trabalho, calmamente, contando inovar no próximo ano. Não fica mal fazê-lo nas férias, se assim o entendermos.


Mas é da pesca que se quer aqui falar e ela tem sido uma artista estas férias!


O peixe não tem sido muito, nem muito grande, mas penso que o melhor está ainda para vir!?


Escolhem-se pesqueiros, fundeia-se com a precisão supostamente mais lógica, armam-se as canas, iscam-se os anzóis, montados como já sabem... Mais a cana para a isca viva e esperam-se os sinais!


Os sinais estão lá e tudo indica que sim... Ou talvez não!? Os grandes não aparecem, mas, outros com boca suficiente gostam das nossas iscas! Como os sargos que se apresentam... Eu, na foto de entrada, o Vitor a seguir, orgulhoso de tal feito!
Os Sargos estão difíceis! Moem a isca e parecem peixe miúdo, mas, uma pequena elevação da cana, seguida de volta atrás, uma pequena espera e uma ferragem seca, conseguem enganá-los!


Só falta a luta, dura, a condizer com o tamanho dos bichos! Não os pesámos, mas não é preciso! As imagens não dão margem a grandes erros!

Apanhamos mais uns cinco! Um igual a estes e outros mais pequenos... Aqueles de dose!

A pesca continua! São onze e meia da manhã, e, embora o pesqueiro pareça estar feito, certo é que os "toques" começam a falhar!

Verifico a "poitada"! Olho para a marca de terra que sempre tiro, para facilmente perceber se o barco garrou e foi à rola, mas está tudo igual! Algo aconteceu! O barco continua no mesmo lugar, mas o peixe já não pica da mesma forma! Será que chegaram os grandes?

Iscamos grande e forte, direi mesmo... Suculento! Esperamos mais meia hora, mas nada acontece! Não sei explicar!

As iscas vêm intactas e parece-me hora de mudar de pesqueiro!

Levanto o ferro e lembro-me do pesqueiro do "Crescente"! Chamo-lhe assim, porque só me tem dado boas pescas em Quarto Crescente, já perto da Lua Cheia ou no início do Minguante que se lhe segue!

É lá que vou! Não tenho dúvidas!

Chego ao local e lá está o pontão que sobe aos 39 metros e vai caindo, para Sueste, atingindo um socalco aos 45 metros que se estende aí por 50 metros, tombando finalmente para os 47, em terreno limpo que se alonga durante uma centena de metros até outro pontão!

Já capturei bons exemplares neste limpo, mas, o socalco tem uma boa marcação e é aí que quero ficar!

Manobro o barco em direcção do vento, largo ferro do outro lado do bico, aos 39 metros, e, deixo o barco cair com o vento, asseguro que o ferro está preso antes de finalizar o deslizamento e dou cabo até me encontrar onde quero! Lá está a marcação de sonda que queria ver!

Estamos mesmo em cima do "mel"! Comento com os meus companheiros!

Iniciamos a pesca e, aí à terceira vez que reponho a isca e lanço, ferro um bicho grande, talvez demasiado rápido!? Aguento-lhe as primeiras investidas, penso que o tenho e ele solta-se!

Não fico zangado! Fico a pensar! Os anzóis vêm sem isca e intactos, o que me leva a pensar que deveria ter aguardado um pouco mais para efectuar a ferragem! A Sardinha enche o anzol e o bico não deveria estar onde era necessário! Talvez o peixe tivesse de ter engolido mais? Não sei!

Continuámos e os Pargos entraram, pequenos, de quilo a quilo e meio! Apanhámos uns seis ou sete e a pesca acabou, comigo a pensar que deveria, talvez, ter vindo para o pesqueiro do "Crescente" mais cedo! Vá-se lá saber!

Hoje é Sábado dia nove, amanhã será Domingo dia dez e volto cá com o Chico, o Albino e o Vitor, aqueles que já conhecem, habituais dos Pargos maiores que, já devem estar á minha espera lá no porto, impacientes pela Cabidela da praxe! Veremos o que dá!

E estavam mesmo!

Entre todos lavámos o barco, arrumámos tudo, despedimo-nos do Raimundo e do Vitor, e, lá fomos à Cabidela, seguida de ronda pelo Carnaval de Verão de Sines que calhou nesta noite.

Noitada, está claro, mas com moderação... O mar não perdoa aos incautos e esperáva-nos no dia seguinte. O rumo já estava feito! Vou voltar ao pesqueiro do "Crescente"!
Parece mentira! Tanta coisa e só vamos para o mar às 11.30... Grandes calões!
Pesqueiro do "Crescente" com eles! Assim que começámos eles entraram... Pargos iguais aos do dia anterior, caíram na cana do Albino, uns três, quase seguidos! Depois a calma e o roubo de iscas!
Uma fuga ou outra de peixe que se pensava ferrado! Pescas arrochadas ao fundo, muito porque as iscas, há muito roubadas, deixaram os anzóis nús e o fundo é rijo e cheio de ramagem!
Anda Ernesto! Faz pescas novas que os "artistas" e os nós não se dão muito bem! Não me importo! É o preço que pago por tão boa companhia!
Insistimos! Sinto três toques sucessivos, miúdos, a afundarem a ponteira de forma pouco perceptível, faço a ferragem e luto com um bicho um pouco maior, aquele que se vê na imagem abaixo!
A pesca compõe-se!
Entra uma Sargueta daquelas que já não se veêm, para aí com umas 600 gramas, e, logo a seguir, uma Choupa um pouco maior! Olho para a caixa e o peixe é pouco, mas, de muito bom tamanho, e linda côr! Paramos para almoçar, conversar e... Comtemplar o dia!
Voltamos à pesca! Os sinais mantêm-se! O vento aumenta e a vaga também! O meu amigo Chico Camarada ferra um peixe melhor, a Dourada que se vê a seguir, sem saber que estava a encerrar o dia!
O vento entra mais forte! A vaga torna-se desconfortável e a hora de voltar ao porto antecipa-se! Temos peixe que chegue, principalmente em qualidade!
Mais uma vez foi assegurada a regularidade, sem os exemplares de excepção, embora tudo se tenha feito para os conseguir, excepto talvez, acordar mais cedo, procurar mais ou... Não sei o quê!?
As férias continuam... A vida continua... O pesqueiro do "Crescente" mantêm-se fiel ao nome com que o baptizei! Vou lá voltar em luas diferentes e naquela em que parece mais produtivo, só para ir confirmando se o nome lhe continua a assentar bem! Depois conto!
Boa noite a todos os leitores!
O Raimundo não fica atrás e também exibe o seu exemplar, com o sorriso habitual, aberto e franco! Bonito!

7 comentários:

Anónimo disse...

Bom dia Comandante!

Isso é que tem sido uma férias...

Belos peixes, bela companhia, um mar a contento, como diria o outro; Tá-se bem!

Continuação das hostilidades, e boas proas!

Aquele abraço!

Mário Baptista

Daniel Pedro Silva disse...

Boa noite!

Imaginando que era um artigo da revista visão equiparada ao Ricardo araujo pereira - Focando a apresentação da cronica e nunca o autor. Eu siblinharia a amarelo as seguintes frases

"Moem a isca e parecem peixe miúdo, mas, uma pequena elevação da cana, seguida de volta atrás, uma pequena espera e uma ferragem seca,..."

"Estamos mesmo em cima do "mel"! "

"Temos peixe que chegue, principalmente em qualidade!"

muito bom! resumen muita coisa

Um abraço e continuação de boas FERIAS

Ernesto Lima disse...

Viva Pessoal!

Grato pelos comentários!

Pois é Márinho... Só os grandes não me aparecem, melhor dizendo, não dou com eles!

Pois é Daniel... É preciso ler com atenção! Lol

Grande abraço!

Ernesto

Pedro batalha disse...

Boas, bons Sargos, com férias assim dá gosto.
Abraço e continuação.

Paulo karva disse...

Viva Ernesto.
Belos Sargos, pequenos? achas? LOL
Os outros vem a seguir.

Abraço
Paulo karva

Sargus disse...

Boas Ernesto,

Já são algumas "horinhas" a experimentar fundos, a ler cartas, a estudar sinais, etc

São de facto belos sargos mas a espécie que procuravas não era essa pois não?

;)

Mais uma vez bonito relato e reflexão digno de quem entende da materia.

Abraço.

Ernesto Lima disse...

Viva Fernando!

Grato pelo comentário!

Pois é! Não eram de facto estes que que andava procurando!
Mas pronto... Se eles quiseram... Eu agradeci! Lol

Abraço

Ernesto